domingo, 24 de outubro de 2010

Georgie

existe um jardim, e este jardim a ninguém pertence; mas mesmo assim ela sempre vem, ela sempre o frequenta; ela sempre vai ao mesmo lugar...
uma àrvore perto do riachinho do qual ela sempre se banha; ela é pura como uma criança deve ser, ela é um anjo, linda como um raio de sol, fina como uma bela dama de sua época sería, seus longos cachos pendiam em suas costas num brilho dourado tão gracioso como seu sorriso, seus olhos de um âmbar impar, seu vestido de menina rica num tom de rosa combinando com suas botas creme, seu pai muito rico sempre lhe dara de tudo, porém nada a satisfazia mais do que frequentar este jardim, este simples jardim.
hoje ela estava a banhar-se neste riacho quando viu o que mudaria sua vida, o que mancharia seu coração de odio posteriormente, ela viu o amor!
ela conheceu o Carter, um lindo jovem vindo de uma outra cidade interiorana, ele era lindo um moço muito educado muito simples, eles banharam-se juntos, dançaram juntos e conversaram bastante e depois partiram cada qual para seu lugar...
dias passavam e eles tornavam a se encontrar, começaram a ficar mais intimos e esta intimidade começou a leva-los ao amor e assim eles se perderam juntos viviam juntos, mas nada de agrado de seu pai, nada de agrado de sua familia...
ai sim começa seu inferno, Georgie, viu ao fim como era ser não aceita, como era não estar em casa, ser estranha ser fútil, ser criança...
G conheceu a morte, G morreu por amor...
to be continue...

Nenhum comentário:

Postar um comentário