sábado, 15 de junho de 2013

transcendi...



Andei um pouco desolada, sentida, magoada...
Por deveras sentindo-me morta, falida,
Sentindo-me cansada, iludida, chorosa...
Não! Pare esta ão será mais Eu...
Esta pessoa não pertence a mim...
Por meses chorei tua ausência, sua ida...
Ao acaso joguei minhas mãos...
Minha vida, meu destino...
Ao acaso do descaso joguei você,
Que não pertence mais a minha vida...
Enfim e por fim vivi...
Vivo e estou vivendo, amar não mata!
Fortalece, engrandece, ilumina...
Só morre aquele que perdeu a capacidade de amar...
Então em mim morreu você!

Um comentário: